O trabalho de Angela Detanico e Rafael Lain elucida o que tem extrema evidência mas afunda no esquecimento cotidiano: a geografia é a escrita da terra, o seu rastro inteligível e traduzível. Quando pensamos assim, as palavras cartografia e tipografia se aproximam como num campo magnético; cartas (mapas) e tipos (letras) reaparecem como elementos de um mesmo conjunto sintático, de uma similar arte de compor. A sobreposição que Detanico e Lain executam tendo em mãos essas duas artes de compor - a cartografia e a tipografia - é de uma exatidão científica que aparentemente não deixa margem para equívocos ou incorreções. Entretanto, o trabalho é justamente sobre o oposto da precisão: investiga as margens da legibilidade, localiza-se nas bordas incertas dos espaços, dos mapas e das frases. [...]

Publicado no catálogo da exposição de Angela Detanico e Rafael Lain. Belo Horizonte: Museu de Arte da Pampulha, 2008.

pdf artigo completo

http://geografiaportatil.org/files/gimgs/17_bowditch-1st-edition.jpg
Nathaniel Bowditch. 1802