Nos primeiros anos do século XX, a prática dos travel logs, registros oficiais que gravavam os eventos ocorridos durante uma viagem de navio ou avião, junto à prática das gravações etnográficas de campo, deram origem ao termo travelogue. Monólogo de viagem, diário de bordo. Pouco depois, os travelogues abandonaram o seu caráter de registro objetivo e introduziram pequenas intromissões descritivas, transformando lugares ordinários em extraordinários.
Hoje, chamamos travelogue a um registro ilustrado de viagem, a um álbum pessoal de itinerários, a uma aproximação entre a literatura, a arquitetura, as artes visuais e a geografia. O antigo monólogo de viagem transforma-se em diálogo, em convite à navegação.
Geografia Portátil é um lugar de pesquisa, registro e crítica sobre a arte contemporânea e o conhecimento espacial que produz.

In the early years of the twentieth century, the practice of travel logs, official registrations that record the events during a voyage by ship or airplane, next to the practice of ethnographic field recordings, led to the term travelogue. Travel monologue, logbook. Soon after, the travelogues left the character of objective registration and introduced small descriptive interferences, transforming ordinary into extraordinary places.
Today, we call travelogue an illustrated record of a journey, a personal album of routes, an approximation between literature, architecture, visual arts and geography. The old travel monologue turns into a dialogue, an invitation to navigation.
Portable Geography is a research, registration and criticism site on contemporary art and the spatial knowledge it produces.

Renata Marquez

http://geografiaportatil.org/files/gimgs/14_globus-peq.jpg
R. Marquez e W. Cançado. 2008